domingo, 25 de setembro de 2011

19ª AVALIAÇÃO NACIONAL DE VINHOS DO BRASIL


Participei ontem deste evento servindo vinhos aos participantes, após pedido da ABE-Associação Brasileira de Enologia e da faculdade onde estudo, IFRS Bento Gonçalves.

O evento é muito interessante, pois dá uma idéia de como está a qualidade do vinho da safra de 2011. Nos tintos se percebia a coloração bem violácea, denotando vinhos bem jovens, ainda não estão prontos para ir ao mercado.

A maioria deles foi colhida dos tanques de inox ou até de barricas de carvalho ou direto das garrafas.


Neste ano a novidade foi a inclusão de dois vinhos bases para espumantes (seja para método charmat ou champenoise).

Estávamos num grupo de mais ou menos 60 pessoas servindo os vinhos e arrumando as mesas nos intervalos. Além dos estudantes do IFRS, havia também estudantes de Sommelier do SENAC de Bento Gonçalves e de estudantes de Enoturismo da FISUL de Garibadi.

Neste evento tive a oportunidade de servir a mesa principal onde estavam os convidados para avaliar as 16 amostras, cada convidado analisou um vinho e o comentou ao público.

As 16 amostras levadas aos participantes foram selecionadas de um universo bem maior de 383 no total, de 72 vinícolas brasileiras.


Segue a classificação final:


1 - Vinho base espumante: Domno do Brasil

2 - Base Espumante: Casa Valduga
3 - Riesling Itálico: Aurora
4 - Chardonnay: Nova Aliança
5 - Chardonnay: Góes
6 - Chardonnay: Don Giovanni
7 - Moscato R2: Perini
8 - Moscato Giallo: Don Guerino
9 - Rosé Cabernet Sauvignon: Almadén
10 - Vinho jovem Merlot: Salton
11 - Merlot: Basso Vinhos
12 - Merlot: Luiz Argenta
13 - Syrah: Almaúnica
14 - Cabernet Sauvignon: Rasip Agropastoril
15 - Tannat: Vinícola Gheller
16 - Tannat: Seival Estate


EDUARDO TLACH

VINHO AO SEU ALCANCE

quarta-feira, 14 de setembro de 2011

GAZELA ESPUMANTE


Para os apreciadores de vinho verde surgiu uma novidade: o Gazela Espumante, por enquanto disponível apenas na Europa.

Na boca ele é seco e leve tendo como público alvo o consumidor jovem.


EDUARDO TLACH

VINHO AO SEU ALCANCE

segunda-feira, 12 de setembro de 2011

VINHO CHINES DERRUBA FRANCÊS


A muito tempo a China está se destacando no cenário mundial, agora foi a vez do vinho.

Segue matéria publicada na BBC.CO.UK.


EDUARDO TLACH

VINHO AO SEU ALCANCE


Um vinho chinês surpreendeu e venceu um renomado concurso promovido pela revista britânica Decanter, batendo outros vinhos franceses na mesma categoria.


O Cabernet Dry Red 2009 (Jia Bei Lan) foi o primeiro vinho chinês da história a vencer o Decanter World Wine na categoria de vinhos na mais alta faixa de preços.

Os profissionais do vinhedo He Lan Qing Xue, na província Ningxia, no norte da China, comemoraram o recebimento do premio, em uma cerimônia em Londres.

O consultor de vinho Demei Li, que tem passagens por vinhedos na França e ajudou a criar o vinho chinês, diz que a China não possui um clima "adequado para produzir vinho".

Assim como a Europa, o país possui um clima continental, com verões de calor intenso e invernos muito frios. No entanto, as temperaturas são mais extremas. No inverno, as videiras precisam ser escondidas sob o solo para ficar protegidas do frio.

China x França?

O Jia Bei Lan é uma mescla das uvas bordalesas Cabernet Sauvignon, Merlot e Cabernet Gernicht – que especialistas acreditam ser uma parente da Cabernet Franc ou Carmenère.

Os jurados do concurso descreveram o vinho como "suculento, gracioso e com aromas de fruta madura, mas não carnudo" e elogiaram a sua "excelente persistência e seus taninos firmes".

Porém, o produtor chinês afirma que o vinho "não está tentando competir com os vinhos de Bordeaux, como os Grands Crus".

Demei diz que o vinho, com sabores de fruta e carvalho, é equilibrado e apropriado ao gosto chinês.

Com o triunfo, Demei espera oportunidades para venda em hotéis e restaurantes nos exterior. "O prêmio será muito útil para vender o vinho e desenvolver a marca", diz.

O próximo passo da vinícola será desenvolver vinho branco.

Produção local

Atualmente, o vinho só é vendido na China, em produção limitada, a um preço equivalente a R$ 35. Apenas 20 mil garrafas da safra 2009 foram produzidas.

Demei espera que o prêmio incentive outros produtores chineses a expandir sua atuação, inclusive por meio de parcerias com o vinhedo He Lan Qing Xue.

Um estudo feito pela Vinexpo, organizadora de uma das principais feiras de vinho do mundo, na França, afirma que a China (incluindo Hong Kong) deve se tornar o oitavo maior consumidor de vinho do mundo em 2012.